Fotografia Marcello Quirgo

Jovens sorrisos

Especialista alerta para os cuidados com os dentes
nas diversas fases da infância

 

Mostrar desde cedo as crianças a importância do cuidado com os dentes pode prevenir doenças futuras, trazendo assim benefícios reais ao longo de suas vidas. O alerta é da especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial, Dra. Francine Figueiredo, que destaca que o primeiro passo é os adultos darem o exemplo. “É importante que os filhos vejam que os pais se importam com a saúde bucal. Não adianta ´perseguir´ as crianças com as escovas de dentes. O ideal é transformar esse momento de mera ´obrigação´em algo divertido. Uma solução é realizar a escovação junto da criança,os pais utilizarem escovas coloridas, e estimular os filhos escolhendo escova com personagens para eles por exemplo, atentando sempre para que estas escovas sejam sempre macias e com a cabeça pequena para correta higienização  ”, diz Francine.

Para proteger não só os dentes, mas também a gengiva dos pequenos, reduzindo assim o risco de cáries, a especialista recomenda escová-los pelo ao menos três vezes ao dia com um creme dental com flúor, usar fio dental diariamente para remover a placa bacteriana que se aloja entre os dentes e abaixo da gengiva, adotar uma alimentação saudável com pouco açúcar e amido, e visitar o dentista regularmente. “São medidas simples e práticas. O fio dental, por exemplo, deve começar a ser utilizado quando nascem os primeiros dentes, entre 4 a 6 meses”, explica Francine.

Já em relação ao flúor a doutora afirma que é uma das melhores maneiras de se evitar as cáries. “Ele é um mineral natural que quando combinado com o esmalte dos dentes, fortalece-os”, esclarece, acrescentando que esses hábitos ajudarão a conservar ainda os dentes de leite que são importantes no desenvolvimento da fala, da mastigação e na formação de um caminho para os dentes permanentes. Logo, a recomendação é de utilização de pasta de dente fluoretada, a partir do nascimento do primeiro dente, na quantidade de um grão de arroz cru até que a criança possa ter a capacidade de cuspir, quando, passamos, então, para a quantidade de um grão de ervilha”, detalha a especialista, acrescentando que, é importante consultar o odontopediatra para as devidas orientações quanto aos procedimentos adequados pertinentes a cada faixa etária.

Primeiros passos

O cuidado com a boca deve começar desde cedo. Segundo Francine, após o nascimento da criança, a higienização bucal deve ser iniciada utilizando uma gaze ou fralda de tecido macio umedecida com soro fisiológico, com a finalidade de remover o excesso de leite da gengiva, bochecha e língua. “Assim que nascem os primeiros dentes, entre 4 a 6 meses, a limpeza pode ser feita com dedeiras de borracha, que além de higienizar melhor a boca do bebê, alivia a coceira provocada pelo nascimento dos dentes nesta fase. À medida que o ele vai crescendo, é indicado que a mãe compre escovinhas infantis extremamente macias e com a cabeça pequena para fazer a correta higienização”, orienta Francine.

Correção ortodôntica

Algumas crianças, com idades entre seis e doze anos, apresentam desequilíbrios ossos, dentários, musculares ou articulares que podem afetar o desenvolvimento das arcadas dentárias. “Logo, a época ideal para a criança ser avaliada pelo ortodontista é no final da dentição decídua (de leite) e início da dentição mista, por volta de 5 a 6 anos de idade, quando o profissional tem chance de acompanhar e identificar a melhor hora de intervir no problema”, alerta Francine.

Uma das opções de tratamento nesta fase seriam os aparelhos Ortopédicos Funcionais. “Esse tipo de aparelho ajuda a reeducar a musculatura facial e no desenvolvimento ósseo através do modo como a criança fecha a boca, por exemplo. O que contribuirá para a respiração, a fala, deglutição e mastigação”, mas é preciso que os pais estejam atentos para que o aparelho seja utilizado de forma correta, já que é removível”, alerta a dentista.